Hostel em Salvador

Procurando hostel em Salvador? Então presta atenção neste post.

Então a história é a seguinte: esse ano eu saí do frio de Londres e vim pro Brasil passar meu 1º Carnaval em Salvador. Eu gosto de farra, de gente, de cerveja então que coisa melhor do que Carnaval pra juntar tudo isso? Ainda mais depois de 7 anos longe do Carnaval brasileiro?

Depois do Carnaval fui abandonada à minha própria sorte pelas amigas que tinham que voltar ao trabalho na quarta-feira de cinzas e fiquei cinco dias sozinha em Salvador. Aproveitei pra conhecer dois hostels  na cidade e mostrar pra vocês.

Os hostels:

O 1º hostel no qual fiquei foi o F Design Hostel, cujo um dos donos é o ator Luis Fernando Guimarães. Ele fica no bairro do Rio Vermelho, pregado na praia e colado no Acarajé da Dinha, o mais famoso de Salvador. O Rio Vermelho é o bairro boêmio de Salvador, então se a sua é bares e restaurantes, esta é a área.

O F Design Hostel é absolutamente, inegavelmente, ducaralhamente lindo. Confortável, limpo, fashion, organizado, moderno. Tipo assim, eu! Me indentifiquei. Eu ia ficar lá todos os dias que estivesse em Salvador.

hostel-salvador-f-design

Mas procurando na internet, vi que o Açaí Hostel tinha mil reviews elogiosas em diferentes páginas. Resolvi ir lá conferir porque tamanha fama. Muita gente elogiava as camas, com cortinas, luz e ventilador individual – e mais uma parte ao lado da cama com tomada dentro que podia ser trancada a chave. No vídeo dá pra entender melhor.

hostel-salvador-acai-hostel

Localização:

Os dois são super bem localizados, cada um em sua região. O F Design Hostel fica em uma área cheia de bares e restaurantes e barraquinhas de comida.  A coisa ali é noturna: a vida boêmia ferve. Durante o dia a área é super quieta. Tem parada de ônibus e de taxi bem pertinho também.

O Açaí Hostel fica no Pelourinho. Pelourinho, meu povo. Super emblemático. Eu me senti figurante do filme Ó, Pai Ó (mas queria mesmo ser atriz principal.) A animação tava zero depois do Carnaval. Descobri que o Pelourinho bomba mesmo é antes do Carnaval, com os ensaios de diferentes cantores.

Prepare-se pra engrossar as pernas subindo e descendo as ladeiras do Pelô.

Vibe da galera:

O F Design Hostel não é o tipo de hostel onde você faz amigos. A maioria das pessoas está ali em casal, em grupo de amigos e não rola muita interação entre os hóspedes. Mesmo na piscina linda lá no terraço com música incrível, fica cada um na sua e não tem muita conversa entre os grupos.

Eu que estava sozinha, só fiz um amiguinho, O Giácomo, um italiano que também estava por lá sem ninguém. O hostel estava com um público gay bem grande enquanto estive por lá. Então se é o que você procura, saiba que o F Design é super gay friendly.

Já no Açaí Hostel você já faz amigos subindo a escada até o terraço. O Francisco, o dono do hostel, faz questão de ficar por lá conversando com todo mundo, levando você pro bom caminho das cervejas baratas em Salvador, ensinando a fazer caipirinha – aliás, todos os hóspedes têm direito a uma caipirinha por dia. Tá lá no vídeo.

O Francisco só não quis mesmo revelar o segredo do churrasco dele, que rola todas as segundas ali no terraço.

hostel-salvador-acai-hostel

Conheci várias pessoas lá no Açaí Hostel e fiz o papelão de até dormir no sofá depois de uma festa. Conheci inclusive um britânico que descobri que mora pertinho de mim em Londres. Se você está sozinho na cidade, a fim de fazer amigos do mundo todo, o Açaí Hostel é o seu lugar. Já marquei com uma das meninas de nos encontrarmos de novo em Madri.

Preço:

Os dois cobravam praticamente a mesma coisa: R$60 reais por noite no F Design Hostel e R$55 no Açaí Hostel – ambos para um quarto de 8 pessoas. Quer a minha opinião? Na questão dinheiro x conforto seu suado dinheirinho vale mais no F Design Hostel pela decoração, pelo conforto, pela piscina no terraço e pelo quesito fashionista levar nota 10. Só perde em animação.

Segurança:

Pra quem se preocupa com segurança, na esquininha do Açaí Hostel, a poucos passos, tem uma unidade fixa 24h da Polícia. E o F Design Hostel também tem um segurança 24h lá na porta. Vá sem medo.

Então pronto, você já tem duas boas dicas de hostel em Salvador. Se souber de mais lugares bacanas, pleeeeeeeease compartilha aí nos comentários. :)

Também tem hostel em Roma e uma indicação de um lindo hostel em Lisboa. E se seu próximo destino é Barcelona, que tal conhecer este hostel?

Pra não perder nenhuma notícia, me segue no twitter e confere as fotos das minhas viagens no instagram. Ah, e todos os vídeos de viagem estão lá no meu canal do YouTube.

Um pub inglês no inverno

Um pub inglês no inverno

Deu vontade de tomar uma cider na beira do Rio. O pub inglês escolhido foi o Weyside: cidra gelada, o rio ali pertinho e um cobertor. Era tudo o que eu precisava pra colocar as ideias em ordem. Um pouco de paz no frio do inverno britânico.

pub-ingles-no-inverno

Um dia frio. Um bom lugar pra ler um livro

Esse foi o guarda-chuvinha do meu drink: um cobertor pra me aquecer em frente a lareira vendo o rio Tâmisa. O pub deixa dois latões com cobertores pra você se aconchegar e ainda bolsas de água quente pra você usar åa vontade e ficar ainda mais quentinho nesse inverno.

pub-ingles-no-inverno

Quero que você me aqueça nesse inverno

Mulled cider, cold cider and scotch egg

Minha bebida preferida agora é a Cider. Nem ouse pensar naquela que vc costumava tomar todo final de ano quando era novinh@. Esssa aqui é da boa. Aspall é das mas fáceis de encontrar por aqui.  E eu adoro. Tem também a Bullmer’s, que geralmente é a mais barata. Grandes vantagens da cidra: o teor alcólico é maior do que a cerveja, geralmente custa menos que a cerveja e não dá barriga igual a cerveja. =D

Pra fugir do frio, além do Mulled Wine (a versão européia do quentão, o vinho quente com canela e outros temperinhos gostosos) tem a Mulled Cider, que a a mesma coisa, mas com cidra Aspall, como você bem pode ver na foto aí em baixo.

pub-ingles-no-inverno

E aí chega a hora do Scotch Egg, que é um um ovo meio mole, meio duro, coberto com carne temperada e frito no maior estilo “Tá frio e não me importo de engordar”. E que nesse inverno virou minha comida favorita. Esse amarelo gema me tem encantada.

Quais são as cores que são suas cores de predileção?

Um pub pet friendly 

Queria eu ter um cachorro pra levar pro pub inglês no inverno. O Weyside além de aceitar pets, oferece almofada pro bichano ficar confortável enquanto você come e bebe, água e ossinhos pra ele não passar vontade e ainda toalhas caso ele volte com as patinhas molhadas.

pub-ingles-no-inverno

E ainda tem um balde cheio de pão pra você ir lá na beira do rio e alimentar os patos – que sabem imediatamente o que você está fazendo ali em pé e brigam por um pedaço da sua atenção. Pet friendly indeed.

 pub-ingles-no-inverno

Um pub inglês no inverno

Eu fiquei apaixonada por esse pub inglês e queria voltar todos os dias. E passar ali todos os meus dias. Colocando as ideias em ordem enquanto alimento os patos, imagino ter um cachorro, vejo o povo remando rio acima e me decido qual vai ser a bebida da vez.

Apaixone-se você também por um pub inglês no inverno.

pub-ingles-no-inverno

pub-ingles-no-inverno

pub-ingles-no-inverno

Ou quem sabe você queira se apaixonar por outros bares.

O que aprendi com meus amigos em 2014

Mais do que tudo, 2014 foi um ano de amizade. O ano em que muita coisa eu aprendi com meus amigos. Durante esse ano que passou eu aprendi várias lições de muita gente diferente – lições que eu gostaria de compartilhar com todo mundo.

aprendi-com-meus-amigos

Se esforce em estar rodeada de amigos

Depois de cinco anos longe, eu passei de novo um Reveillón no Brasil. No dia 31 de dezembro de 2014 eu estava toda de branco com os pés na areia passando o reveillón em Fortaleza, onde durante cinco anos. O namorado deixou o frio de Londres pra receber 2014 usando branco, passando calor, comendo carangueijo e ouvindo Chiclete com Banana.

Nessa viagem revi amigos dos tempos de faculdade e conheci pessoas que em 2014 se tornaram muito especiais pra mim. E aprendi com meus amigos como é bom juntar passado e presente em datas especiais.

A viagem ao Peru nasceu mais ou menos desse Reveillón. Fortaleza, São Paulo, Belém, Nova York e um reencontro em Cuzco fizeram dessa umas das melhores coisas de 2014.

A Denise e a Nara me ensinaram como é possível viajar com amigos, ficar 24h por dias juntas, bêbadas, sóbrias, manter a individualidade, passar medo, fome, sono, chorar e rir sem que nada, absolutamente nada dê errado e com absolutamente zero desentendimentos. Sim, é possível.

Conheça seu próprio país

Na Copa das Copas eu arrastei namorado, sogro e amigos pra ver de perto o Brasil. E eu aprendi a delícia – e a responsabilidade – que é conhecer e apresentar seu próprio país pra quem vem de visita. Viajamos pra cinco cidades pra ver os jogos da Copa, pegamos chuva em Copacabana, comemos pastel em Brasília e pudemos ver de perto como a Copa, no geral, funcionou.

Deixe-se cuidar 

Eu sempre sou aquela que organiza festas, surpresas e detalhes especiais. Depois da Copa, a festa continuou com meu aniversário. E outra vez, depois de seis anos sem comemorar no Brasil, eu fiz uma festa no aeroporto. Sim, no aeroporto. Que lugar melhor pra combinar comigo?

O bar, chamado Check-In, nunca viu tanta gente louca, linda e feliz ao mesmo tempo. Ganhei de surpresa o bolo mais lindo que eu já vi na vida e um vídeo com mensagens de gente de várias partes do mundo. Com tudo isso aprendi com meus amigos, e especialmente com o Diogo e com a Cris que às vezes é bom se deixar cuidar por pessoas especiais. Obrigada!

Aprenda com quem sabe mais

Depois de uma blogtrip pra Bulgária, foi a hora de viajar mais uma vez com a Ana, grande parceira em Londres e ir conhecer a Romênia em uma blogtrip. Fiquei impressionada com um país cheio de gente inteligente, interessante, curiosa e tão profissional.

Aprendi com meus amigos muito sobre blogs, sobre a vida de quem vive da internet e sobre como é importante nunca deixar de criar. DylanBogdan, Roxana, Anca, Erick, Raymond, AlexAndra and the lovely Megan (one of Buzfeed’s inspiring people who left normal life and embarked on an adventure), it was a huge pleasure being part of this amazing experience with you all.

O mesmo aconteceu com a viagem pro Sri Lanka. Eu era a única representante da América Latina junto a outros 49 blogueiros de todo o mundo participando da #TBCAsia, uma Conferência Internacional de Blogueiros de Viagem.

Mais uma vez, estar rodeada de gente tão criativa e profissional me encheu de ideias, projetos e desejos pro blog em 2015. Sempre que possível, esteja cercado por quem sabe mais do que você. Katie, Marysia, CleliaSophie, Steve, Becki, Paul, Erin, Brock, Chris and Tawny, it was an honour to learn so much from you.

E todo mundo deveria visitar o blog desse pessoal gringo citado. Só tem fera.

Generosidade é fácil.

Me encheu o coração de alegria ver como as pessoas podem ser generosas ao redor do mundo. Nunca abusei tanto da hospitalidade alheia quanto em 2014.

Agradecimentos especiais a Tille e ao Taylor, que me abriram as portas da sua casa incrível no Rio.

A Erika que me deu casa, comida, churrasco e louça lavada em plena Copa do Mundo em Copacabana, mesmo sem me ver há oito anos. A Thaís em Madri, que mudou até de casa pra poder me dar um quarto maior ainda pra ficar nas minhas visitas frequentes a minha primeira paixão europeia.

Ao Alin, que depois de uma semana que me conheceu me deu a chave do apartamento dele em Bucareste e disse “toma, fica aí enquanto eu estou fora da cidade”. A Roberta, a Ana e a Juliana, que me abrigaram em noites carentes em Londres e em Birmingham.

Se é pra se divertir, que seja com amigos.

Além da TBCAsia fui pela primeira pra WTM London, uma das maiores feiras de turismo do mundo onde tive a alegria de encontrar outros bloggers brasileiros que moram aqui na Europa: a Martinha do Viajoteca, a Karine do Brazuka, o Pedro do Travel With Pedro e a Paula do No Mundo da Paula. Ainda vamos nos ver muito em 2015! :)

Aventure-se

Crossfit e pilates no Brasil, corrida em Bucareste, Hiking na Romênia, Safari de elefantes no Sri Lanka, os 1200 degraus da Lion Rock. Seja o que for, não fique parado. É importante pro corpo pra cabeça e pro coração estar sempre em movimento. E sempre bem acompanhado de grandes amigos.

Seja louco. Seja estranho. Viaje.

Porque no final das contas, o que a genre leva da vida é a vida sue a gente leva.

A todo mundo, muito obrigada por terem me ensinado tanta coisa em 2014. 

Lion Rock no Sri Lanka – Subindo os 1200 degraus até o topo • Vídeo •

Visitar a Sigiriya Rock, Lion Rock em inglês, é obrigatório na sua viagem ao Sri Lanka. Nem pense em conhecer a ilha sem dar uma subidinha nos 1.200 degraus da Lion Rock. 

A História de Sigiriya Rock

A história de Sigiriya Rock é o conto do Rei Kasyapa que governou há 1600 anos atrás. Reza a lenda que ele, filho ilegítimo do então rei, resolveu roubar o trono e por isso matou o próprio pai. O filho “de verdade” com medo de também levar a pior, fugiu. Daí o reino ficou pro Kasyapa. Atormentado pela culpa e pelo medo ele resolveu construir seu novo reino no topo da Sigiriya Rock.

sri-lanka-sigiriya-lion-rock-

Lá em cima ele construiu uma nova capital com jardins, lagos, palácios e pavilhões. Ele transformou a rocha negra de aspecto sinistro para e pintou a pedra com belos afrescos de ninfas semi-nuas. Ui!

Ele construiu também uma guarita enorme na forma de um leão (por isso o nome Lion Rock) para proteger a entrada para o santuário mais íntimo da sua cidade, o Palácio Sky, que ficava no topo da rocha. Lá, escondido e cercado por seus cortesãos e seu harem, ele viveu em isolamento cheio de culpa e medo. Por fim, traído por um serviçal, ele cometeu suicídio.

lion-rock-sri-lanka

Os jardins e o Palácio

Uma das características mais impressionantes da Sigiriya Rock é o Palácio em si. Quase uma cidade em miniatura que consiste em um palácio, uma fortaleza na própria rocha, um sistema organizado de cisternas, e várias gravações na pedra e esculturas.

Uma parede de rocha maciça protege Sigiriya pelo lado leste – é essa parede na foto que ainda está sendo escavada, ou seja, eles ainda estão encontrado mais e mais coisas na Lion Rock. Quando você for lá, provavelemnte vai ver mais do que eu vi.

lion-rock-sri-lanka

A outra são seu jardins: os jardins de água, a caverna e os jardins dos terraços. São canais, piscinas e sistemas de aquedutos subterrâneos que olha, impressionam pela eficiência e estrutura. E tudo isso funciona até hoje.

sri-lanka-sigiriya-lion-rock

Como chegar

Sigiriya é também o nome da cidade onde fica a Sigiriya Rock. A cidade fica  no centro-norte do Sri Lanka, a 181 km de Colombo, a principal cidade do Sri Lanka.

  • Carro: Sigiriya fica a 161 kms de Colombo, 155 kms de Negambo e 98 kms de Kandy.
  • Ônibus: Os serviços são executados a partir de grandes cidades como Dambulla e Habarana, ambas ficam 24 kms de distância. Os ônibus saem a cada 30 minutos, entre 06h30 e 18:00. Dá pra ir também de tuk-tuk, mas aí fica bem mais caro.
  • Trem: Existe um serviço de trem a partir da cidade de Habarana.
  • Avião: A Cinnamon Air oferece um vôo do Aeroporto Internacional de Colombo para Sigiriya. O vôo dura aproximadamente 30 minutos. A Cinnamon Air tem também um passeio pra ver a Lion Rock do alto, em um hidroavião.

lion-rock-sri-lanka

Leve sua própria água, pois bebidas não são vendidas dentro do parque. Guias não oficiais ficam em torno da entrada e oferecem passeios por uma pequena taxa.

Curiosidade:

O Duran Duran gravou o clipe de Save a Prayer no Sri Lanka, e tem várias imagens aéreas da Lion Rock.

 

A subida na Lion Rock e a Conferência TBC Asia 2014 foram patrocinados pela rede Cinnamon Hotels e Resorts e pela Sri Lankan AirlinesE foram organizados pela Professional Travel Bloggers Association com a ajuda da Citrus Worldwide e do CVisit.com

Safari de Elefantes no Sri Lanka • Vídeo •

O vídeo muito legal do meu 1º safari de elefantes

Os elefantes são os maiores animais terrestres do mundo e pesam  entre 4 a 6 toneladas – e medem em média quatro metros de altura.  E esse foi meu 1º safari: a 1º vez que eu vi eles assim, na vida real, curtindo tranquilos um lanchinho no Kaudulla National Park.

safari-elefantes-sri-lanka

Depois de chegar no Sri Lanka uma das nossas primeiras atividades na Ilha foi pular no jeep e partir pro safari de elefantes.

Kaudulla National Park

O lugar escolhido foi o Kaudulla National Park, que fica em Habarana, a 200km de Colombo, a maior cidade do Sri Lanka. É o parque mais novo do país, abriu em 2002 e fica no que é conhecido como o Triângulo Cultural do país , a região ao norte da cidade de Kandy.

Cerca de 250 elefantes dão pinta por ali entre os meses de agosto e dezembro – as melhores épocas pra ir. Aliás, você pode visitar o parque clicando aqui ou aqui. E você pode visitar o parque saindo de Habarana, Polonnaruwa, Sigiriya ou ainda de Dambulla.

Chegamos no Kaudulla National Park no meio da tarde, seis pessoas em cada jeep. A chata da chuva ficou literalmente em um chove não molha até que na hora H do safari de elefantes ela parou, e podemos ficar fora do jeep pra ver tos eles  de perto. O resultado você confere no vídeo. Que aliás tá bem bacana.

Os elefantes

Dependendo do tamanho, estas moças e rapazes podem comer entre 70 a 150 kg de alimentos por dia. Pra cada elefante nascer a mãe fica esperando entre 20 e 22 meses (!) e eles podem nascer com até 90 kg.

safari-elefantes-sri-lanka

Os elefantes que vimos no safari no Sri Lanka são menores que os elefantes africanos. Os asiáticos (esses do Sri Lanka) têm as orelhas um pouco menores e não têm as famosas presas de marfim das fêmeas dos elefantes africanos.

Fora ter visto eles assim tão de perto e tão tranquilamente comendo suas graminhas, foi super divertido encarar a trilha cheia de lama com os outro blogueiros. Na foto eu estou com a Clelia, blogueira italiana do Keep Calm and Travel, a Sofie, blogueira belga responsável pelo Wonderful Wanderings e o Derek, americano que escreve o The Holidaze.

safari-elefantes-sri-lanka

O safari de elefantes e a Conferência TBC Asia 2014 foram patrocinados pela rede Cinnamon Hotels e Resorts e pela Sri Lankan AirlinesE foram organizados pela Professional Travel Bloggers Association com a ajuda da Citrus Worldwide e do CVisit.com

Kerala, na Índia. Você conhece?

Você conhece Kerala, na Índia? Se você me ajudar eu vou e filmo tudo.

O país do próprio Deus. Deus gente! Esse é o principal adjetivo usado pra definir Kerala, um estado do sudoeste da Índia. Nunca ouviu falar? Pega nada. Se você acompanha o blog você já sabe que eu gosto de lugares pouco explorados pelo grande público.

kerala-blog-express-dany-3

Ah, não sabe ainda? Então: eu adoro um lugar que ninguém conhece. Porque? Porque eu vou, descubro tudo e mostro pra você. Assim quando você decidir ir, você não precisa ir completamente virgem, já vai poder viajar tendo uma ou outra dica minha.

Kerala no sudoeste da Índia foi nomeada pela National Geographic’s Traveller magazine como um dos 10 paraísos do mundo. E se isso não fosse suficiente, também como um dos 50 lugares que você precisa ver antes de morrer. Já a Travel and Leisure nomeou Kerala como “Uma das 100 grandes viagens do século 21″.

kerala-blog-express-dany

O país de Deus. Paraíso do mundo. Essencial antes de morrer. Grande viagem do século 21. Se é assim que o povo define Kerala, tem como não querer conhecer? Não tem. Tenho certeza que você quer.

E você pode me ajudar! Sim, você! Tá rolando uma promocão pra blogueiros de viagem irem conhecer esse paraíso na Terra (okay, não tinha como fugir desse clichê). Tudo o que você precisa fazer pra me ajudar é votar aqui http://bit.ly/VoteDany. Demora dois segundos. Juro! Dois míseros segundos. Clica, abre, clica, pronto!

Vote Aqui

 

kerala-blog-express-dany

Dá pra votar também clicando em qualquer uma das fotos. A votação vai até dia 31 de dezembro e cada pessoa só pode votar uma vez. Quer mais fácil do que isso? O Kerala Blog Express vai levar 20 blogueiros do mundo todo pra passar duas semanas em Kerala. E eu posso ser uma deles, se você me ajudar, claro.

Vote Aqui

 

E não é só uma viagem pra gente ficar por lá passeando. É uma forma de mostrar pra você, sentado na frente do computador, um mundo que muita gente ainda não conhece. É mostrar pra você como chegar, o que fazer, onde se hospedar e principalmente, como você pode viver a aproveitar cada segundo de uma oportunidade de vida incrível –  de conhecer uma região ainda pouco explorada da Índia.

Tenho certeza que uma parte de você adora um destino exótico e sempre teve uma paixão / curiosidade / interessa pela cultura da Índia. Como não? As roupas, a comida, o cinema, a fé. Eu conto com seu voto pra ir lá e poder trazer a Índia mais perto ainda de você.

kerala-blog-express-dany

Vota em mim, pede pros amigos, pra família, todo mundo. E pode aguardar zibilhões de vídeos diretamente da terra de Deus. Oh, God

Vote Aqui

Aeroporto de Heathrow e como é voar de SriLankan Airlines • Vídeo •

A série de posts sobre o Sri Lanka continua com o 1º vídeo sobre como é voar de SriLankan Airlines

Chegar cedo no aeroporto. Taí algo que eu não faço jamais. Mas acho que a empolgação de conhecer o Sri Lanka me fizeram chegar 3:30h antes do embarque. E olha que eu tinha que enfrentar 10:30h de vôo sem parar.

O aeroporto de Heathrow e os detalhes do meu vôo estão aí no vídeo. Isso e a roupa muito bacana que as atendentes de vôo da SriLankan Airlines usam. Ah, e ainda tem esta que vos escreve falando mandarim. E um gatinho fofo no final.

Chegar no Aeroporto Heathrow

Eu cheguei no aeroporto de Heathrow de ônibus. Comprei o ticket da National Express online e custou 11,50£. Não precisa imprimir, na hora de entrar no ônibus basta mostrar o bilhete no celular.  Ele saiu da estação de trem perto da minha casa. No site da National Express ele te diz onde perto de você o ônibus passa.

O trajeto até o Heathrow demora exatos 50 minutos e te deixa na portinha. Zero caminhada com malas na mão.

A viagem pro Sri Lanka

O vôo até Colombo, capital econômica do Sri Lanka, demorou 10:30h e foi bem tranquilo. Bom, quase. Atrás de mim tinha uma senhora que reclamou horrores porque eu reclinei o encosto do meu assento. Bateu no meu ombro, ficou empurrando o encosto e como eu me recusei a levantar o assento ela chamou um dos atendentes de vôo.

voar-srilankan-airlines

Depois de um mini piti o atendente perguntou se eu aceitaria mudar de lugar. Era mais fácil eu mudar de lugar do que acalmar a tiazona. Eram três assentos vazios e é claro que eu aceitei. Depois, pra se desculpar pelo incidente eu ganhei duas garrafas de vinho. Valeu, tiazona!

Cheguei em Colombo super cansada, dá pra notar pelas olheiras no vídeo. Demorei dois dias pra me acostumar com o fuso horário. Sinal que a idade está chegando.

Os próximos posts do Sri Lanka 

Você já sabe mais ou menos como foi tudo. E daqui em diante você vai poder ver nos próximos posts tudo o que eu fiz no Sri Lanka:

Quer saber  como você pode chegar no Sri Lanka?

Acompanha tudo por lá e aproveita pra assinar o canal do You Tube pra não perder nenhum vídeo de viagem. Dá pra acompanhar as minhas viagens por aqui e por aqui também.

como-e-voar-de-serilankan-airlines

A Conferência TBC Asia 2014 foi patrocinada pela rede Cinnamon Hotels e Resorts e pela Sri Lankan AirlinesE foi organizada pela Professional Travel Bloggers Association com a ajuda da Citrus Worldwide e do CVisit.com

Britânico visita 201 países sem usar avião

Graham Hughes, de 33 anos, usou ônibus, táxis, trens e os próprios pés para viajar o mundo todo em 1.426 dias, isso tudo gastando cerca de US$ 100 dólares por semana e conta tudo em seu blog.

homem-viaja-201-paises-sem-aviao-2

A jornada começou em 2009 em Liverpool, onde nasceu e acabou em Juba, no Sudão do Sul. Como ele mesmo conta, passou quatro dias em um barco furado para chegar a Cabo Verde, ficou preso por uma semana no Congo, e foi salvo de fundamentalistas muçulmanos por um ladyboy filipino.

Eu acho que eu queria mostrar que o mundo não é um grande, lugar assustador, mas na verdade está cheio de pessoas que querem ajudá-lo

‘Eu amo viajar, e eu acho que a minha razão para fazê-lo era que eu queria ver se isso poderia ser feito, por uma pessoa que viaja com pouco dinheiro “, ele disse ao Christian Science Monitor. ‘Eu acho que eu também queria mostrar que o mundo não é um grande, lugar assustador, mas na verdade está cheio de pessoas que querem ajudá-lo, mesmo se você é um estranho. ”

O Livro dos Recordes confirmou

Ele atravessou as fronteiras de todos os 193 membros das Nações Unidas, mais de Taiwan, Cidade do Vaticano, Palestina, Kosovo, Sahara Ocidental e as quatro nações de origem do Reino Unido – todos sem voar.

O Guinness confirmou que Hughes, que filmou a expedição para um documentário e arrecadou dinheiro para caridade WaterAid, alcançou o recorde mundial para a ‘O maior número de países visitados em um ano por transporte terrestre regular.’

“O sentimento principal hoje é apenas um dos intensa gratidão a todas as pessoas ao redor do mundo que me ajudaram a chegar até aqui, dando-me um elevador, me deixar ficar em seu sofá, ou me apontando na direção certa”, acrescentou Hughes.

Se não de avião, então como?

Enquanto todos os transportes terrestres tinham obrigatoriamente que ter tanto rodas, patas ou solas de borracha resistente, ele fez as viagens de longa distância em sua maioria pegando caronas em elevadores de navios de carga. Ele ainda conseguiu ir de penetra em um elevador de um cruzeiro para a República Dominicana.

Altos e baixos da viagem

Outros destaques da jornada incluem a dançar com os Highlanders de Papua Nova Guiné, fazer amizade com os orangotangos em Bornéu, viajar através do ermo do Quênia em um caminhão de 18 rodas, encontrar o primeiro-ministro de Tuvalu e ouvir no Afeganistão que as crianças deveriam ter cuidado com homens com barbas.

Ele diz que as pessoas perguntam como ele foi parar em lugares tão complicados como a Coréia do Norte, Iraque e Afeganistão, mas ele diz que eles eram os mais fáceis.

homem-viaja-201-paises-sem-aviao-2

Muito mais difícil era negociar rotas em pequenas nações insulares como Nauru, no meio do Oceano Pacífico, as Maldivas e Seychelles, onde poderia haver ameaças piratas. Ele diz que houve pontos baixos na viagem como sentado em uma estação de ônibus no Camboja à uma da manhã ou pegando carona em algum horrível caminhão por estradas escuras ele pensava ‘Por que estou fazendo isso mesmo?’

O ponto mais baixo veio quando sua irmã, Nicole, morreu de câncer há dois anos, com apenas 39. Ele parou a viagem a correu para vê-la. “Eu já havia passado por 184 países e faltavam apenas 17 , e eu pensei por que não deixar isso tudo pra lá? Ela me disse para não parar “, acrescentou.

homem-viaja-201-paises-sem-aviao-2

Agora que tudo acabou

Mas depois de ter terminado sua jornada, ele não tem a intenção de comprar um bilhete de avião em breve e diz que agora pretende “manter o espírito da aventura e viajar pela África um pouco mais antes de chegar em casa a tempo para Natal.

* fotos de divulgação
* informações de seu site.

1 dia em Lisboa – O que fazer • Vídeo •

Não sabe o que fazer em 1 dia em Lisboa? Eu tinha 12 horas de conexão entre um vôo e outro da última vez que passei por Lisboa e aproveitei pra gravar um vídeo com as minhas dicas do que fazer pra não ficar sentada mofando no aeroporto.

Se você tiver 1 dia em Lisboa você tem muitas opções para aproveitar suas horas em uma das cidades mais bonitas do mundo. No vídeo você vai ver que as melhores coisas pra fazer em um dia em Lisboa incluem tudo: desde catedrais e castelos até caminhadas pelas ruas estreitas de paralelepípedo.

Confira o roteiro de 1 dia em Lisboa com lugares para conhecer andando de ônibus, de metrô e até de bondinho. Passe pela praça do Comércio e veja de perto o Rio Tejo e pelo Castelo de São Jorge para conferir belíssimas vistas da capital portuguesa.

A ideia aqui é aproveitar muito bem a essência de Lisboa da melhor maneira possível. Tudo isso em um dia. E olha que ainda tem muito mais o que fazer em Lisboa.

1-dia-em-lisboa
Este post foi originalmente publicado no Roteiros Incríveis, do UOL.

E voce já conhece Lisboa? O que você mais gosta de fazer na cidade?

Instagrams de Viagens – Viajagram #2

As minhas dicas dos meus perfis de instagrams de viagens  favoritos que me fazem passar horas perdida entre fotos maravilhosas do mundo todo. Toda semana aqui no #Viajagram, perfis que você deveria seguir e que vão fazer você se apaixonar pelo mundo.

@chrisburkard

instagrams-de-viagens

O Chris tem um arquivo incrível sobre natureza e algunas das melhores fotos de  de rios e montanhas que eu já vi. Ele mora na Califórnia, mas viaja o mundo inteiro atrás de paisagens que ele sabe fotografar muito bem. Dá pra conhecer o trabalho dele também no site dele.

@spatari

instagrams-de-viagens

O Alex é um urban photographer que consegue algo que pra mim é muito difícil: encontrar beleza e informação em imagens do dia a dia. Eu gosto especialmente do tom quente que ele sempre imprime nas fotos.

@lorantpandea

instagrams-de-viagens

O Lorant mora na Transivalnia, mas nao espere fotos de castelos e dráculas. Ele é um fotografo urbano que consegue tirar você da vida da cidade grande e te fazer respirar. Sempre tem muito céu, sol e liberdade nas fotos do Lorant.

@andy_best

instagrams-de-viagens

Natureza, natureza e natureza. O Andy além de fotos incríveis também faz vídeos de paisagens que fazem você querer liberar seu lado hiker imediatamente e ir correr pra alguma trilha tentando achar a mesma beleza que ele mostra nas fotos.

É olhando as fotos de gente como eles que eu quero cada vez mais viajar pelo mundo e fazer fotos que cheguem pelo menos aos pés deles. Aliás, me segue lá no instagram também @DanyColaress.

instagrams-de-viagem

Semana que vem tem mais instagrams de viagens no #ViajaGram. Se quiser ver alguém listado, deixa a dica ai nos comentários.

 

Instagrams de Viagem – Viajagram #1

Eu já consegui me curar do vício no Pinterest, mas o Instagram… Ah, esse não tem jeito. Instagrams de viagens então… Passo horas entre um perfil e outro me inspirando pras minhas fotos. Aliás, me segue lá @DanyColaress.

instagrams-de-viagem

Se você é como eu e gosta de se perder em grandes imagens de viagens, o Instagram oferece uma das melhores maneiras de fazer isso. Aqui estão alguns dos meus instagrams de viagem favoritos que você talvez ainda não conheça, mas que deveria seguir.

Alguns são profissionais e alguns não, mas todos eles têm uma coisa em comum – um amor feroz por viajar e compartilhar as suas experiências com o mundo. Nestes belos perfis de instagrams de viagem você vai ver de tudo: desde cenas descritivas, fotos de cidades a paisagens que parecem que foram arrancados de um romance de fantasia.

Claro, esta é apenas a minha opinião pessoal e que provavelmente vai mudar com o tempo. Mas a partir de hoje, toda semana eu vou dividir com vocês as minhas descobertas de Instagrams de viagens. Não importa o que as suas preferências de viagem possam ser, eu garanto que você vai descobrir contas novas e muito legais a cada semana.

Então vai, dá uma olhada e se você souber de algum perfil que merece atenção, não esquece de deixar registrado aí nos comentários.

@bloggeries

instagrams-de-viagem

Rob é o cérebro por trás do blog de viagem Stop Having a Boring Life. Além de um canal do YouTube do qual eu sou fã, ele sempre consegue fotos divertidas, sutis e sempre interessantes de todos os cantos do globo.

 @lozula

instagrams-de-viagem

Viajante, fotógrafo e escritor, o Laurence vai fazer você mudar a maneira de olhar o mundo. Eu tive a honra de viajar com o ele pro Sri Lanka e ver de perto sua perspectiva única e a sua capacidade de surpreender constantemente.

@olayseven

instagrams-de-viagem

O Olay é diretor criativo de uma agência de publicidade e sempre me surpreende com fotos cheias de contraste e muita cor. Praias, cidades, sol e chuva sempre parecem mil vezes mais bonitas nas fotos do Olay. 

@landlopers

instagrams-de-viagem

O Matt long é um dos mais famosos blogueiros de viagem internacional e eu sempre acompanho as viagens dele pelo Instagram, pra ver desde elefantes a obras de arte na praia, com direito a uma ou outra selfie aqui e ali. Mais do que as fotos do Matt, eu gosto de ver a personalidade dele nas legendas das fotos.

@beyondmydoor

instagrams-de-viagem

O que eu mais gosto no Beyond My Door é o talento do fotógrafo de capturar coisas que podem parecer familiar, mas de maneiras muito diferentes . Além disso, o tema tende a ser de lugares novos para mim, por isso eu gosto de acompanhar.

Semana que vem tem mais instagrams de viagem no #ViajaGram. Se quiser ver alguém listado, deixa a dica ai nos comentários.

10 coisas pra fazer em Istambul

Uma lista básica e original das 10 coisas pra fazer em Istambul

 

Você já viu minha lista das 10 coisas pra fazer em BarcelonaLisboa e Viena. Agora chegou a vez de conhecer as 10 coisas pra fazer em Istambul.

1) Fazer um tour pelo Palácio Topkapi

Este mega palácio é o maior de Istambul, e um dos mais antigos do mundo. Ele serviu como a principal residência dos sultões otomanos durante quase 400 anos. Na minha opinião, o Palácio Topkapi é o melhor lugar para obter um sabor da cultura e da história de Istambul. E engraçado que muita gente que vai pra Istambul não visita o Topkapi.

coisas-pra-fazer-em-istambul

Passei algumas horas andando em torno deste lugar com a boca aberta de espanto o tempo todo. De lá dá pra ter umas vistas muito legais de Istambul. Dê a si mesmo algumas horas para ver este lugar, porque você vai precisar de tempo pra se encantar por esse palácio.

2) Visitar a Hagia Sophia

Hagia Sophia é uma das mais famosas mesquitas imperiais do mundo e tem servido como o monumento mais importante para os impérios bizantinos e otomanos. Ela foi construída no ano 537 – faz tempo, hein! – e servia originalmente como uma Catedral Ortodoxa Oriental e como sede do Patriarcado de Constantinopla. No século 15, se transformou em uma mesquita.

coisas-pra-fazer-em-istambul

Hoje, a Hagia Sophia é um incrível museu. A beleza arquitetônica da parte de dentro tem sido quase intocada por séculos – e é algo que você não pode deixar de ver. Faça um tour por dentro e veja com seus próprios olhinhos.

3) Se divertir na Beyoglu Street

A Beyoglu é uma das áreas mais legais de Istambul. É um bairro na parte moderna da cidade e é o lar de alguns dos melhores bares e restaurantes da cidade. Os bares são super divertidos e você vai conhecer muita gente saindo por lá.

coisas-pra-fazer-em-istambul

Há mil opções de comida de vendedores ambulantes que ficam abertos durante toda a noite caso você precise de algum deles na hora de sair dos bares. É perfeito para aquela vontade de comer kebab depois de uma noite de bebedeira. A rua fica lotada todas as noites da semana. Já sabe: jantar, um abr de hookah (ou shesha), algusn drinks e depois um bom kebaba na madrugada. sesh, e bebidas no bar depois.

4) Entrar na Mesquita Azul

Visitar a Mesquita Azul não pode faltar em nenhuma lista de coisas pra fazer em Istambul. Justo na frente da Hagia Sophia esta otra Mesquita famosa e histórica em Istambul. A Mesquita Azul, ou a Mesquita do Sultão Ahmed, foi construída no início do século 17 e ainda é usada como uma mesquita por pessoas turcos hoje. A arquitetura exterior tem uma cúpula gigante com muitas cúpulas secundárias.

Quando você entrar você vai ver milhares de ladrilhos cerâmicos feitos à mão e muitos desenhos de mil tipos de tulipas diferentes. Tudo lá dentro foi feito à mão. Você será convidado a tirar os sapatos antes de entrar, para honrar este santo lugar. É realmente uma experiência cultural incrível. Entrar é obrigatório, viu? Nada de ficar só na parte de fora.

coisas-pra-fazer-em-istambul

5) Barganhar no Grand Baazar

Grand Baazar é um dos maiores mercados cobertos do mundo, com mais de 5.000 lojas espalhando mais de 60 ruas diferentes. Se você gosta de pechinchar, então você estará no céu, porque este é o melhor lugar para isso. Não é muito a minha praia, então eu entrei mais pra passear.

Espere um jogo de xadrez onde coisas que originalmente são oferecidas por 100€ acabam sendo vendidas por 25€. É muito divertido de andar pelas ruas de Grand Baazar. Você pode literalmente encontrar qualquer coisa que você imaginar. É realmente uma experiência de compra interessante. Tenho quase certeza que você sempre vai achar algo que te agrade. Leia mais sobre o Grand Bazaar aqui.

6) Relaxar na Galata Tower

Galata Tower é um marco em Istambul, e pode ser visto a partir de todas as áreas da cidade. Na verdade, é uma torre medieval feitoa totalmente de pedra. A torre foi construída em 1348, e tem cerca de 90 metros de altura.

coisas-pra-fazer-em-istambul

A Galata Tower é um lugar muito legal para relaxar à noite, porque há sempre moradores por ali tomando uma cerveja. Conheci algumas pessoas realmente incríveis lá e conversamos horas antes de sair para os bares. Agarre-se a uma Efes (cerveja turca local) e caminhe até a torre depois do pôr do sol para conhecer algumas pessoas incríveis.

7) Conhecer a Taksim Square

A Taksim Square fica na parte vibrante, moderna do Oriente Istambul. Aqui você vai encontrar muitas lojas, hotéis de luxo, restaurantes e bares. Ele é considerado o coração da Istambul moderna, porque a estação central está localizado aqui. Uma das principais atrações turísticas em Taksim é o Momument da República, o que representa Independência turca. Você deve passear por esta bela Praça durante o seu tempo em Istambul. Leia mais sobre isso aqui.

8) Experimentar um banho turco

Eu entrei em um banho turco sem saber muito bem o que esperar. Mas no final foi uma experiência incrível, mas bem engraçada. E uma vez na Turquia, acho interessante passar por isso. Hoje em dia dá pra encontrar banhos turcos em todas as partes do mundo.

Mas vai, banho turco de verdade tem que ser na Turquia, né?

9) Fumar Hookah

Fumar hookah (ou shesha) é super comum em Istambul. Mil bares em todas as esquinas te convidam a entrar e relaxar entre os mil sabores oferecidos. A hookah é um evento social e muitos restaurantes vão te oferecer um sem mesmo você pedir.

coisas-pra-fazer-em-istambul-7

É muito relaxante e uma ótima maneira de experimentar a cultura turca e aproveitar o dia. Eu não entendo muito do tema, mas me garantiram que o tabaco da Turquia é muito fresco e saboroso. Você deve tentar.

10) Você decide

Chegou sua vez de completar minha lista das 10 coisas para fazer em Istambul. O que você incluiria nessa lista? As dicas mais legais vão virar um post feito inteiro pelos leitores do blog.

Casamento turco

O convite para o casamento turco

Eu decidi viajar para Istambul porque fui convidada para ser madrinha de casamento do Dervis, um grande amigo que conheci em Madri.

No mesmo dia em que o convite chegou na minha casa, comprei as passagens cheia de honra pelo convite para participar do casamento dele. Então alguns meses depois, mais 4h de aviao e outras 9h de trem noturno depois, eu estava em Ankara, na Turquia, me maquiando para um casamento turco.

A capital da Turquia

Ankara  é a capital da Turquia e uma importante cidade comercial, industrial e cultural. Também serve como centro de comércio para a zona agrícola que a rodeia.  Hoje em dia é a sede do Parlamento Turco, dos ministérios e demais instituições governamentais turcas assim como das embaixadas diplomáticas estrangeiras. Fica tudo em Ankara, como em Brasília.

O que ver em Ankara

Localizada no centro da Anatólia, Ankara tem várias universidades, a Biblioteca Nacional, o Museu Arqueológico, o Museu Etnográfico e o Museu das Civilizações da Anatólia. O Mausoléu de Kemal Atatürk – Antkabir -, a figura mais importante da Turquia do século XX, também está localizado em Ankara.

Se você estiver por ali, estes são itens obrigatórios da lista de o que fazer em Ankara.

O Casamento Turco e o meu vexame público

O casamento turco aconteceu no último andar de um restaurante no centro de Ankara. Estava marcado para as 20h e começou exatamente no horário. Pena que eu não sabia disso e acabei me atrasando.

Chegamos e ao sair do elevador escuto alguém chamar meu nome. Era o noivo, de braços dados com a noiva, em pé no fim do corredor, me dando tchau e sorrindo nervoso naqueles segundos que antecedem a entrada no salão.

casamento-turco

Veio um rapaz apressado com uma lista na mão e me perguntou em turco qual o meu nome. Bom, acho que foi isso que ele perguntou, porque imediatamente o Dervis gritou lá de trás: “Dany!”. Então o rapaz pediu que entrássemos no salão que ele nos levaria a nossa mesa, a 19. E foi então que a coisa aconteceuMaldito timming.

No exato momento em que o rapaz da lista na mão nos mandou entrar, o outro rapaz, o do microfone, que estava dentro do salão, anunciava a entrada dos noivos. E quando colocamos o pé dentro do salão mil luzes coloridas se acenderam, música começou a tocar, papel laminado caiu do teto  e todo mundo começou a nos aplaudir. Fomos aplaudidos por alguns milésimos de segundos, mas na minha cabeça aquele vexame durou horas.

E então todos se deram conta de que não faziam idéia de quem nós éramos e pararam de aplaudir. E nós, desejando um buraco grande o suficiente para nos enterrarmos. O jeito foi sorrir amarelo e andar até a mesa enquanto eles arrumavam todas as luzes e os confetes de novo pra entrada dos noivos de verdade.

Sentada na mesa eu só conseguia rir da situação, m-o-r-t-a de vergonha. Poucos segundos depois os noivos entraram e aí sim, os aplausos, as luzes e o papel picado eram para as pessoas certas. E assim começava um Casamento Turco.

O ritual de um Casamento Turco

Os noivos entraram de braços dados no salão. Sentaram-se em uma mesa onde já estava uma senhora. Sentaram-se em frente à ela, que começou a falar uma que outra coisa.

Alguns poucos minutos depois, não mais que dez, ela estendeu o microfone pra ele, e ele falou que SIM. Depois estendeu pra ela, e ela também falou que SIM. A senhora na frente deles falou mais alguma coisinha e todo mundo aplaudiu. Eles estavam casados.

Se levantaram, nós fomos chamados, todas as testemunhas reunidas, assina daqui, assina dali e começaram a fazer fotos.  Pronto.  Meu amigo estava casado. Em Ankara. Na Turquia. E eu estava lá.

Aquele era um casamento muçulmano simples, pequeno, para poucos convidados. Não havia mais do 200 pessoas na festa. Oi? Pequeno?

Depois da sessão de fotos veio a valsa dos noivos, com uma música que em inglês, que depois o Dervis me explicou que era a que ele cantava pra ela desde que se conheceram. As testemunhas dançaram, os pais dos noivos dançaram e os noivos seguiam ali dançando com um sorriso imenso na cara.

E ele a beijava enquanto dançava e ela sorria e eu vi que são esses micro minutos que me fazem adorar casamento dos outros. E a cara deles era um mixto de nervosismo, felicidade, vergonha e amor que só quem casa tem. Eu eu olhava pras pessoas na mesa e todos olhavam para os dois com a mesma cara que eu.

O jantar do casamento turco e minha segunda vergonha

Assim que os noivos acabaram de dançar começaram a ser servidos os pratos do jantar. Entrada + primeiro prato + segundo prato + sobremesa + bolo do casamento. Muitas verduras, queijo e peru. Não tinha carne vermelha nem porco no menu.

O garçom veio perguntar o que eu queria beber e eu disse que vinho estaria bem. Aí ele se aproximou de mim e disse “only soft drinks, miss.” Pois é, n~åo era mesmo meu dia. Era meu 1º casamento sem álcool.

casamento-turco

Nesse meio tempo todas as pessoas da mesa vieram se apresentar em inglês. Perguntavam como tinha sido a viagem até Ankara, que tal havia sido Istambul, o que havíamos feito no dia… Todos extremamente simpáticos e educados o suficiente como para não mencionar a gafe de antes e ainda disseram que “não, imagina, vocês não chegaram tarde nem nada.”

E jantamos e conversamos como quem já se conhecia de outros carnavais. Mais outros vários pontos para a simpatia turca.

E depois do jantar eles vinham perguntar se não queríamos subir com eles. Eles iam fumar. Não, obrigada, não fumo. E todos se foram. A mesa ficou super vazio durante alguns momentos. As pessoas todas foram ao terraço fumar. E eu já tinha percebido isso, as pessoas fumam muito na Turquia. Ao menos lá é bem mais civilizado do que na Espanha, e ninguém fuma na sua cara no meio do jantar.

Os presentes aos noivos e minha terceira vergonha

Depois do jantar os noivos começaram a circular pelo salão, naquele esquema fotos-de-mesa-em-mesa. Mas não era só isso. No meio desse passeio, a noiva levava presa à mão uma sacolinha de cetim branca e uma fita vermelha ao redor do pescoço, assim como o noivo, que levava uma fita branca.

E quando eles estavam se aproximando da nossa mesa, vi os casais de cada pegando alguma coisa e entregando aos noivos. Perguntei o que era claro, qual era a tradição. E o Unur me explicou que tradicionalmente se dá algum presentinho ao casal nesse momento.

casamento-turco

Em geral ouro, por tudo que o ouro representa. Que o normal é que se dê uma medalhinha de ouro ou um broche de ouro. Algo assim. Ele e a namorada dariam uma medalha de ouro para o noivo e outra pra noiva. E essas medalinhas de ouro cada convidado prende nessas fitas penduradas ao redor do pescoço do noivo e da noiva.

E mais uma vez lá estava eu, sem nada de ouro pra dar pro casal. Não sei vocês, mas não tenho o costume de levar ouro pra casamentos. Tem quem dê outro tipo de presentinho também, que pode ser uma pedra de ouro, por exemplo, e por isso a noiva leva a bolsinha, para guardar o que ganhar.

Tiramos fotos com os noivos, que depois seriam vendidas por 2€ cada uma, ali na entrada do salão. Eu comprei, claro. Era o mínimo que eu podia fazer.

O que vestir em um casamento turco

Eu estava um pouquinho preocupada com a roupa que iria vestir no casamento, por isso fui de longo preto. Mas a preocupaçao resultou desncessária. Todas as mulheres estavam vestidas como em qualquer casamento brasileiro ou espanhol. Havia poucas mulheres com lenço sobre o cabelo. Geralmente as mulheres mais velhas das famílias do noivo e da noiva.

casamento-turco

Fomos dar uma volta no terraço e quando voltamos, a pista de dança estava pegando fogo, com todo mundo dançando os sucessos turcos. Nós também fomos dançar, claro.

10 coisas pra fazer em Viena

Uma lista básica e original das 10 coisas pra fazer em Viena

 

Você já viu minha lista das 10 coisas pra fazer em Barcelona e em Lisboa. Agora chegou a vez de conhecer as 10 coisas pra fazer em Viena.

1) Surpreenda-se com o Palácio de Schönnbrunn

Este incrível palácio com um jardim mais incrível ainda mostra os gostos, interesses e aspirações dos sucessivos monarcas de Habsburgo. É, sem dúvida, o monumento cultural mais importante da Áustria. O Palácio de Schönnbrunn era a residência de verão da família real austríaca e tem 1.441 quartos! O jardim do lado de fora é absolutamente impressionante e vale a pena algumas horas de seu tempo para explorar.

coisas-pra-fazer-em-viena-palacio

A entrada para o parque é gratuito. Você só precisa pagar se você quiser ver o interior do palácio. O passeio no interior do palácio vale o preço, porque você começa a ver dezenas de salas com os projetos extravagantes e arquitetura rococó. O zoológico mais antigo do mundo (Tiergarten) também está localizado nos jardins do palácio, e é algo muito legal a fazer depois de ver o palácio. Este site tem os preços dos bilhetes, horário de funcionamento, instruções e muito mais informações sobre o Palácio de Schönnbrunn.

2) Veja a arquitetura da St. Stephen Cathedral

Construído em 1147, este edifício incrível é uma das catedrais mais bonitas e detalhadas que eu já vi. É conhecida como a “igreja mãe” da Arquidiocese de Viena, e é considerado como o mais importante edifício religioso em Viena. Esta catedral em estilo gótico tem um telhado de telhas multi-coloridas, juntamente com 2 torres altas que são os símbolos mais conhecidos da cidade.

coisas-pra-fazer-em-viena-catedral

À noite, a Igreja fica toda iluminada e é fascinante de admirar. Você tem que pagar uma pequena taxa para entrar, mas total vale a pena. Há também uma vista espetacular de Viena a partir do topo da igreja. Leia mais sobre esta atração imperdível em Viena, clicando neste link.

3) Visite a Casa da Música

Viena, a cidade natal de Mozart e Beethoven é uma das cidades mais importantes para a história da música. Este museu de 6 andares te leva mais dentro ainda do fascinante mundo da música e do som. Não só você começa a aprender sobre som, mas você também pode compor sua própria valsa e tocar seus próprios instrumentos musicais.

Se você é um músico ou não, A Casa da Música é verdadeiramente uma experiência única e incrível. Eu aconselho você a explorar este museu, localizado no centro da cidade velha, e aprender como a música é feita. Este site tem todas as informações que você vai precisar.

4) Confira o Palácio Hofburg

Este histórico palácio abrigou alguns dos mais poderosos europeus, desde a dinastia Habsburg até o Império Austro-Húngaro. Lembrou das aulas de história agora, não foi? Atualmente é a residência oficial do Presidente da Áustria.

coisas-pra-fazer-em-viena-palacio

O Palácio de Hofburg é realmente um lugar incrível. Faça um áudio tour e explore a impressionante história em torno deste lugar. Há três museus que hospedam idéias originais das tradições e da vida cotidiana da corte imperial.

5) Explore o Naschmarkt

Com mais de meio quilômetro de comprimento, o Naschmarkt é o maior e mais conhecido mercado de Viena. Este mercado tem centenas de anos de idade e atualmente tem mais de 120 barracas de comida e restaurantes. Você vai encontrar algumas das mais autêntica e incríveis representantes da culinária vienense, bem como alimentos deliciosos de todo o mundo.

coisas-pra-fazer-em-viena-mercado

É realmente uma grande experiência cultural que você deve fazer enquanto estiver em Viena. Sem falar que é uma espécie de cenário da vida real, tornando-se um lugar perfeito para observar as pessoas.

6) Conheça State Opera House

A lista das 10 coisas pra fazer em Viena segue com o este outro ponto imperdível de Viena. Localizado no centro de Viena, a State Opera House tem uma história de 200 anos de idade. Você pode fazer um passeio ou comprar um bilhete independente e participar de um espetáculo noturno.

O passeio é espetacular: você vai aprender sobre a história do edifício e dos espectáculos de ópera. Se você quiser ir de forma independente para ver uma ópera, então eu recomendo a compra de bilhetes online com antecedência, pois é mais barato. Se você gosta de ópera ou não, é definitivamente vale a viagem para o State Opera House.

7) Faça o tour no Albertina Museum

Visitar o Museu Albertina foi absolutamente incrível. Localizado no Innere Stadt (o 1º distrito), em Viena, o Albertina (tô íntima) tem uma das maiores e mais importantes salas de obras de arte do mundo, com mais de 65.000 desenhos e mais de 1 milhão cópias mestres. Dê a si mesmo pelo menos 3 ou 4 horas para explorar plenamente este museu. Eu acho que você realmente vai gostar, sendo fã de arte ou não.

coisas-pra-fazer-em-viena-museu-albertina

8) Vá ao topo da Danube Tower

Conhecido como ‘Donauturm’ em alemão, este arranha-céu é o edifício mais alto da Áustria. Paira 252 metros acima do horizonte de Viena, e oferece as melhores vistas absolutas da cidade a partir do topo. Chama-se a Danube Tower pois está localizado perto da margem do rio Danúbio, no distrito Donaustadt.

Há alguns elevadores de altíssima velocidade que te levam ao deck de observação em apenas 30 segundos. Assim como o The Shard. No topo da Torre do Danúbio, você pode jantar em um dos dois restaurantes giratórios, sair e apreciar a vista, ou você pode  -olha só – saltar bungee jumping, se você estiver numa vibe aventureira. Não perca a paisagem de tirar o fôlego! Saiba mais, visitando seu site.

9) Vá ao antigo apartamento de Mozart

Embora ele não é originalmente de Viena, Mozart viveu na cidade entre 1784 e 1787. Você pode visitar seu prédio que fica na cidade velha de Viena. Conhecida como a Mozarthaus, este lugar foi recentemente transformado em um museu dedicado à sua vida e obra.

Centenas de milhares de pessoas todos os anos explorar este museu e aprender sobre um dos melhores músicos da história. Me senti honrada de andar por aqueles aposentos. Leia sobre o Mozarthaus aqui.

10) Você decide

Chegou sua vez de completar minha lista das 10 coisas para fazer em Viena. O que você incluiria nessa lista? As dicas mais legais vão virar um post feito inteiro pelos leitores do blog.

10 coisas pra fazer em Barcelona

Uma lista básica e original das 10 coisas pra fazer em Barcelona

 

Você já viu alguns motivos fora do óbvio para visitar Barcelona, agora vai conferir as minhas dicas especiais das 10 coisas pra fazer em Barcelona.

1) Ser surpreendido pela Sagrada Família

Clichê, mas necessário. A Sagrada Família é, sem dúvida, a igreja mais detalhada, original e impressionante que eu já vi. Ela foi projetada pelo arquiteto catalão Antoni Gaudí. A coisa mais fascinante sobre esta igreja é o fato de que ela ainda está incompleta – a data de conclusão prevista é para 2026. Palavras faltam pra descrever os detalhes incríveis, tanto fora como dentro desta igreja.

O ingresso pra entrar é caro, não nego, mas nem pense duas vezes: compre! Se você quiser pular a longa fila, então certifique-se de comprar o seu bilhete on-line com antecedência. A Sagrada Família é absolutamente imperdível. Compre os seus bilhetes on-line e saiba mais sobre a Sagrada Família aqui!

2) Ver a vista da Montanha Tibidabo 

Com 512 metros de altura, a Montanha Tibidabo tem uma das melhores (se não a melhor) vista de Barcelona. No topo da montanha Tibidabo, você vai encontrar todos os tipos de coisas como um parque de diversões, uma torre de telecomunicações e uma Igreja Católica. O parque de diversões é o mais antigo da Espanha e um dos mais antigos de toda a Europa.

coisas-fazer-barcelona-montanha-tibidabo

Você pode subir a esta montanha de trem ou ônibus e a viagem para chegar lá é bastante divertida. As vistas panorâmicas sobre a costa e da cidade são espetaculares. Passe uma tarde aqui, relaxe e desfrute do sol.

3) Curtir as belas praias

Barcelona não tem as praias mais maravilhosas do mundo, mas são bonitas – e estão em Barcelona. Já significa muito. São 4,2 km de praias de areia dourada que só estão a uma curta distância do centro da cidade. Felizmente, o clima em Barcelona é muito bom durante todo o ano, então as praias estão sempre cheias. O famoso Hotel W é um marco na coastline – parece um veleiro gigante contra o céu azul gigante. Se hospedar ali não for possível, passa por lá para um drink no happy-hour.

Prepare-se, pois nas praias de Barcelona você verá muito topless e homens de todas as idades tentando bronzear cada parte do corpo. Como você está relaxando na areia, mulheres tailandesas irão se aproximar de você e oferecer uma massagem por uns 10€ e muita gente vai tentar vender cerveja para você. É uma cena muito engraçada. Não se preocupe, no geral as praias de Barcelona tem um atmosfera maravilhosa.

4) Passar uma tarde em Montserrat

Montserrat é um ótimo lugar para passar o dia em Barcelona. Ele oferece uma paisagem rica, um parque nacional com uma brisa fresca e um santuário único dedicado à Virgem de Montserrat. As pessoas vêm para esta montanha tranquila e relaxante para ficar longe da agitação da cidade.

coisas-fazer-barcelona-montanha-montserrat

Certifique-se de que sua câmera esta preparada porque as vistas do topo são incríveis. Reserve pelo menos 5-6 horas, se você está planejando uma viagem para Montserrat. Espero que o tempo esteja bom e você possa desfrutar da brisa fresca Barcelona.

5) Se perder pelas Ramblas

Las Ramblas é uma rua famosa no centro de Barcelona. Esta rua toda arborizada é uma grande atração turística que se estende ao longo de um quilômetro de comprimento. Enquanto passeia por  Las Ramblas, você vai ver muitos vendedores de rua, muita lojas para comprar lembrancinhas, cafés para relaxar, e várias opções onde provar suas tapas deliciosas. Las Ramblas é o melhor lugar em Barcelona para ver artistas de rua e observar as pessoas.

Barcelona apesar de não ser perigosa tem seus mil casos de descuidismo, então ao andar por lá esteja atento aos seus pertences já que muita gente vai te abordar – de dia e de noite.

6) Visitar o Museu do Salvador Dalí

Salvador Dalí foi um famoso pintor surrealista espanhol. Se você é um fã dele ou não, eu recomendo ir a este museu, pois é excelente. O Museu Salvador Dalí fica na sua cidade natal de Figueres, na Catalunha. Espanha.

coisas-fazer-barcelona-museu-salvador-dali

É um pouco longe de Barcelona, mas é uma bela viagem de um dia até a bela costa da Espanha. Lá dentro, você vai encontrar a maior e mais completa coleção de suas obras de arte. Para obter informações gerais sobre passeios, horário de funcionamento, instruções etc, entre no site.

7) Andar pelo Bairro Gótico

A lista das 10 coisas pra fazer em Barcelona continua nele, o Bairro Gótico, que é o centro da Cidade Velha. A área se estende das Ramblas até Via Laietana em uma direção, e para o Mar Mediterrâneo até Ronda de Sant Pere na outra direção. O Bairro Judeu de Barcelona também está localizado nesta área. Muitos dos edifícios são de tempos medievais e da época do assentamento romano em Barcelona.

coisas-fazer-barcelona-bairro-gotico

Eu recomendo ir lá sem um plano específico e apenas passear pelas ruas charmosas. Você vai ver bons restaurantes, ruas estreitas e cafés ao redor desta área. Você vai se sentir como se estivesse andando em um túnel do tempo, porque você pode realmente sentir a história da cidade enquanto caminha por ali.

8) Admirar as artes do Museu Picasso 

Pablo Picasso foi um pintor espanhol, desenhista, escultor e um dos artistas mais influentes do século 20. O Museu Picasso tem o melhor conjunto de sua obra, com mais de 3.500 peças diferentes. O museu não só exibe sua arte, mas também revela a relação de Picasso com a cidade de Barcelona durante sua juventude.

coisas-fazer-barcelona-museo-picasso

É legal ver como seu trabalho progrediu desde a sua juventude até sua vida adulta. É grátis se você visitar no domingo, mas a fila pode demorar, então chegue cedo. Se você for durante a semana, dá pra pular a fila comprando seu ticket neste site.

9) Relaxar no Parc Güell

Uma outra criação deslumbrantes de Gaudí, o Parc Güell é um dos projetos arquitetônicos mais complexos do mundo. É o meu lugar favorito absoluto para estar em Barcelona. Ele foi concebido lá por 1900-1914, e situa-se na bonita colina de El Carmel. Além de realmente único, o Parc Güell apresenta livremente a arte mágica de Gaudí. As vistas de Barcelona são de tirar o fôlego.

O parque fica localizado um pouco fora da cidade, então planeje-se com antecedência e se permita pelo menos 3-4 horas para explorar a área. É um lugar perfeito para relaxar e fugir da agitação da cidade.

10) Você decide

Chegou sua vez de completar minha lista das 10 coisas para fazer em Barcelona. O que você incluiria nessa lista? As dicas mais legais vão virar um post feito inteiro pelos leitores do blog.

10 coisas pra fazer em Lisboa

Uma lista básica e original das 10 coisas pra fazer em Lisboa

 

Você já viu as 10 coisas pra fazer em Barcelona, agora vai conferir as minhas dicas especiais das 10 coisas pra fazer em Lisboa.

1) Caminhada em torno do Castelo de São Jorge

O Castelo de São Jorge é o meu lugar preferido de Lisboa. Ele serviu como residência real moura até o século 12 no início e, em seguida, foi dedicada a São Jorge (padroeiro da Inglaterra) em 1371. Agora, é apenas um símbolo de paz e uma referência histórica de Lisboa.

coisas-fazer-lisboa-castelo-sao-jorge

Você vai ver excelentes vistas de Lisboa a partir da Catedral de São Jorge. O preço para subir até o topo foi apenas 7€ e  vale a pena! Há também grandes mesas de piquenique espalhadas ao redor da área, o que te permite passar uma tarde inteira lá. Eu confesso que da última vez que fui tirei uma bela soneca ao cair da tarde. Recomendo. Mais informações aqui.

2)  Surpreenda-se com o Mosteiro dos Jerônimos

Construído em 1459, o Mosteiro dos Jerônimos não é como a grande maioria dos mosterios por aí. É muito melhor. Absolutamente fascinante ele é listado como Património Mundial da UNESCO. Ele está localizado perto da costa, em Belém (não a minha, a original), a poucos minutos a pé da famosa Torre de Belém.

10-coisas-fazer-lisboa-mosteiro_dos_jeronimos

Este Mosteiro é o símbolo mais impressionante da riqueza e do poder em Portugal, no século 16. O design ea arquitetura é incrível e a igreja é muito espaçosz por dentro. Custa cerca de € 7 euros para visitar o interior, e às vezes é gratuito aos domingos. Ponto obrigatório quando você estiver em Lisboa. Aqui tem mais detalhes.

3) Ver a Torre de Belém

Torre de Belém é um must-see em Lisboa. Ela está localizado muito perto do Mosteiro dos Jerónimos, assim dá fazer as duas coisas de uma vez só. Esta torre foi construída em 1515 como uma fortaleza para orientar a entrada do porto de Lisboa. Muitas vezes, é visto como o símbolo de Portugal e está classificado como monumento Patrimônio Mundial da UNESCO.

A arquitetura e o design desta torre são impressionantes. Ela é composta de pedras e esculturas colocados juntos pelo arquitecto Francisco de Arruda. A entrada é barata (cerca de 4€) e a vista lá de cima é muito bonita. Dá pra confirmar o preço da entrada aqui.

4) Visite a Praça do Comércio

É fácil falar da Praça do Comércio, também conhecida como Terreiro do Paço. Em uma só palavra? UAU! É uma das praças mais imponentes de Lisboa e foi, há tempos, a principal entrada marítima da cidade. Ainda hoje dá pra ver a escadaria em mármore que existiu ali durante 400 anos.

coisas-fazer-lisboa-praca-do-comercio

Esta foi sempre a entrada nobre de Lisboa e, nos degraus de mármore que saem do Rio Tejo em direcção à Praça do Comércio, desembarcavam chefes de estado e outras figuras VIPonas e VIPinhas do mundo todo. Essa impressionante entrada em Lisboa serve agora de cais para os os barcos que ligam a cidade a Cacilhas. Hoje, o espectáculo de desembarcar neste cais é prejudicado pelo trânsito na Avenida da Ribeira das Naus, que corre ao longo da margem.

5) Confira os telhados vermelhos no Distrito Alfama

Alfama é o bairro mais antigo de Lisboa. Esta área cultural se espalha a partir do Castelo de Lisboa para o Rio Tejo. É muito bonita e montanhosa, e todos os telhados dos edifícios são vermelhos. Se você não quer andar para cima e para baixo nas colinas, você pode fazer um passeio ao longo da bondinho 28 que leva você por todo a zona.

Você vai encontrar muito fado, bares, restaurantes e cafés. Eu realmente tive uma noção de como a cidade é antiga enquanto caminhava por Alfama. Explore esta área caminhando pelas ruas estreitas em torno dos montes. Eu indico ir lá assistir o pôr do sol e jantar. É um ótimo lugar.

6) Confira a Igreja São Roque

Esta é a igreja mais cara do mundo e foi projetada e construída em Roma utilizando os materiais mais caros disponíveis (marfim, ouro ágata, pórfiro, prata) e mais tarde foi enviado para Lisboa como uma bênção do Papa. Não se equivoque, vista de fora ela se parece com qualquer outra igreja normal. Mas dentro… Foram necessários mais de 130 artistas diferentes para aperfeiçoar o design interior que é detalhadamente decorado – e que vai fazer o seu queixo cair.

coisas-fazer-lisboa-ireja-sao-roque

Esta capela é considerada como uma obra-prima da arte européia. A igreja também tem um interessante museu de arte (aberto apenas no período da tarde) e um agradável pátio exterior, onde você pode fazer um lanche ou tomar um café.

7) Obter uma vista espetacular da Torre Vasco da Gama

A lista das 10 coisas pra fazer em Lisboa continua com esta torre moderna que com 145 metros de altura é o edifício mais alto de Lisboa – e também o mais alto em Portugal. Enquanto a maioria de Lisboa tem uma vibe mais antiga, você vai ficar surpreso em ver como esta região é moderna. Este edifício recebe o nome do famoso explorador Português, Vasco da Gama, que foi o primeiro europeu a chegar em Índia navegando, isso lá por 1498.

coisas-fazer-lisboa-torre-vasco-da-gama

No topo da torre, há uma plataforma de observação que tem a melhor vista 360º de Lisboa e do Oceano Atlântico. Há também alguns restaurantes e um shopping center gigante localizado no complexo, mas bem caro hein?!  O edifício também se transformou em um hotel de luxo que foi inaugurado em 2012.

8) Faça um passeio no Bondinho 28

O Bondinho 28 é um antigo bonde que leva você através das melhores zonas de Lisboa. Esta deve ser a primeira coisa que você faz quando você vai para Lisboa, porque você pode conhecer a cidade e ver tudo em primeira mão. A viagem é muito bonita, e vai do centro da cidade, ao nível do mar, através das ruas estreitas até o Castelo de São Jorge, lá no alto.

O Bondinho 28 também irá levá-lo através de todas as 7 colinas dentro da parte histórica de Lisboa, incluindo a área de Alfama. Certifique-se de que você tem bastante espaço na camêra, porque você vai tirar fotos o tempo todo.

9) Passeio até Elevador de Santa Justa

Este elevador tem mais de um século de idade e tem algumas das vistas mais deslumbrantes da cidade de Lisboa. Especificamente a Catedral de São Jorge, do Bairro Alto, Praça do Rossio e do bairro Baixa são as vistas que você vai ver a partir do topo. O Elevador de Santa Justa foi inaugurado em 1902 e é o único elevador vertical em Lisboa que presta um serviço público.

coisas-fazer-lisboa-elevador-santa-justa

Há uma pequena taxa (€ 5) que você deve pagar para chegar ao topo, mas é livre se você tiver um ticket de metro ou de ônibus ou um cartão de turista. Meu conselho é ir durante o pôr do sol. Eu tenho uma imagem nítida na minha cabeça de ver o pôr do sol sobre os belos telhados vermelhos. Mas lembre-se que é possível que esteja bem lotado, por isso seja paciente se você tiver que esperar na fila – vale a pena.

10) Você decide

Chegou sua vez de completar minha lista das 10 coisas para fazer em Lisboa. O que você incluiria nessa lista? As dicas mais legais vão virar um post feito inteiro pelos leitores do blog.

E se você tivesse apenas um dia em Lisboa? O que você faria?