feriado social

Pólo Joalheiro – Espaço São José Liberto

O Pólo Joalheiro – Espaço São José Liberto foi o meu destino neste final de semana.

O Espaço São José Liberto antigamente era um presídio, daqueles no meio da cidade, cheio de casas e empresas ao redor, com direito à rebelião, motim e capa de jornal. Até que em 2002 o presídio foi desativado e tornou-se o Espaço São José Liberto, que hoje abriga o Museu de Gemas do Pará, o Pólo Joalheiro, uma capela em estilo barroco e a Casa do Artesão. Cada antiga cela foi transformada numa loja de jóias.

A coisa mudou tanto que atualmente uma parte do espaço, o Coliseu das Artes, é inclusive  utilizada para eventos de grande porte – casamentos, coquetéis, desfiles de moda e até festival junino –  e a capela é usada para transmissão ao vivo de um programa musical da TV Cultura local.

Ao chegar você vai dar de cara com uma enorme rocha de 2,5 toneladas de cristais de quartzo.

O jardim do São José Liberto e as celas

O jardim do São José Liberto e as celas

O quartzo de 2,5 toneladas

O quartzo de 2,5 toneladas

O programa ideal no São João Liberto é chegar e ir direto pro Museu das Gemas do Pará aprender mais sobre a extração de gemas e ver as peças gigantescas retiradas dos garimpos. Depois ir ver os ourives trabalhando lá dentro mesmo, lapidando as pedras que serão montadas em jóias que são vendidas no Pólo Joalheiro. Tem coisas muito legais por lá. Principalmente porque várias jóias tem formas de ícones regionais, como o Muiraquitã. Depois você dá um pulinho na capela, conhece, fica um pouco em silêncio e pensa na vida. Aí você já pode seguir pro jardim, tirar umas fotos e depois ir conhecer a única cela que não foi transformada em loja. Lá dentro você vê algumas armas brancas montadas pelos presos, aprende um pouco das gírias da prisão e ainda vê fotos de como a cela era na época e a capa do jornal com a rebelião que aconteceu antes da desativação.

Onde os ourives lapidam as pedras

Onde os ourives lapidam as pedras

Algumas das jóias produzidas e vendidas por lá

Algumas das jóias produzidas e vendidas por lá

A única cela que não virou loja

A única cela que não virou loja

As armas feitas pelos presos e o quadro com as gírias

As armas feitas pelos presos e o quadro com as gírias

Depois de sair dessa vibe pesada, dê um pulo no Coliseu dsa Artes para comprar mais uma lembrança de Belém e admirar tudo aquilo que não vai dar pra levar na mala, mas que vai ficar na memória pra sempre.

Pronto, você já conhece o Espaço São José Liberto e já tem mais um motivo pra voltar à Belém.

O espaço onde acontecem os eventos

O espaço onde acontecem os eventos

Mais do jardim

Mais do jardim

Algumas das lembranças de Belém

Algumas das lembranças de Belém

Essa foi a que achei mais legal

Essa foi a que achei mais legal

Já curtiu a fan page do blog? www.facebook.com/FeriadoPessoal
Siga todas as viagens também pelo Instagram: @FeriadoPessoal

 

4170 Visualizações

Shortlink para este artigo:

Dany Colares

Jornalista, produtora de vídeo e mestra em TV e Cinema pela Universidad San Pablo CEU, de Madri. Já morou em San Diego, Madri e agora vive em Londres, de onde escreve sobre lugares, pessoas, baladas e tudo mais que descobre em suas viagens pelo mundo.

COMENTÁRIOS

  1. kamilla bittencourt disse:

    bem legal as novidades , eu gostei 🙂

  2. Tâmara disse:

    Estou a procura de jarina ….. Por favor algum fornecedor!!!!
    Obrigado
    Tâmara
    tb-acessorios@hotmail.com

  3. Roberta disse:

    Que tal ver o Polo Joalheiro de uma forma nunca vista antes??? – fotos 360 graus… link ao lado: http://maispara.com.br/maisparaIMAGES/tourVirtual/polo/360.html

  4. Paga para conhecer o local? qual o horario de funcionamento?

  5. Li disse:

    Quem diria que um presídio se tornaria um local mágico e lindo como esse!
    parabéns aos organizadores!

Gostou do post? Me diz o que pensa!





CommentLuv badge

* Campos de preenchimento obrigatório