feriado social

Banho turco em Istambul

Ir em um banho turco em Istambul era item obrigatório da minha lista, assim como ir na Mesquita Azul. Não foi fácil convencer Mr. M a topar a experiência, mas no fim deu tudo certo e ele foi também.

Hamami Cemberlitas

Escolhemos o hammam ali na hora.  Estávamos entre o Grande Bazar e a famosa Praça Sultanahmet. Muito próximo ao  Hamami Cemberlitas, indicado pelo guia National Geographic que levamos. Então lá fomos nós.

banho-turco-em-estambul

Apesar de não ser um banho misto, segundo o Guia o Cemberlitas era o mais limpo e o que mais era turista friendly. E confesso que sem falar turco, na hora de uma outra pessoa que nunca vi na vida me lavar, na frente de outras mulheres que também nunca vi, melhor ser em um lugar onde ao menos as pessoas falem inglês.

O Unur, meu amigo que estava nos hospedando aprovou a escolha do banho turco em Istambul. Ótimo.

Por motivos óbvios não é permitido fazer fotos lá dentro. E sinceramente, fotos minhas enroladas numa toalha turca não é a visão do paraíso e eu prefiro poupar toda e qualquer pessoa dessa imagem traumática. Assim sendo, fiquem com o meu relato e fotos de internet.

Quanto custa o banho turco

Barato, barato, o que se diz barato, não é. Já que íamos mesmo fazer a coisa, vamos então fazer o pacote completo: Banho turco + esfoliação + massagem = 95 liras turcas, ou seja, pouco menos de 50€

Como é o lugar do banho turco

O  lugar é uma micro portinha, que pode muito bem passar despercebida. Lá dentro a coisa toda muda de figura: é um lugar todo em madeira, tranquilo, com lanchonete e bastante gente pra te ajudar.

Logo na entrada nos separamos. Eu pra um lado, Mr.M para outro. Uma moça me deu um par de sandálias, o pestemal –  uma toalha grande de algodão para enrolarmos no corpo – a parte de baixo de um bikini grandão em uma caixinha lacrada e um kese, uma luva feita de um tecido mais grossinho, para a exfoliação.

banho-turco-em-estambul

Os primeiros momentos

De lá me mandaram ao salão onde acontece o banho turco. Uma sala grande, redonda cujo chão, a plataforma central, as paredes e as galerias laterias eram todas de mármore em um tom bege clarinho.

Olhando pra cima tem uma abóboda majestosa que cobre a principal sala de banhos. Já era noite mas a moça me explicou que durante o dia as aberturas da abóboda deixam passar feixes de luz que furam as nuvens de calor. E que é muito, muito bonito.
O que eu mais gostei foi que todas as moças que lá trabalham notam imediatamente a nossa cara de pânico de “que diabos eu faço agora?” e já vão logo te pegando pela mão e dizendo o que vc tem que fazer.

A moça que me me daria o banho fez isso. Me puxou pela mão e me levou pro salão de banho. Em inglês me disse que me deitasse. Lá dentro, deitadas na grande pedra central de mármore, outras mulheres sendo banhadas e outras apenas deitadas, relaxando. Todas as senhoras que davam os banham estavam vestidas com o mesmo bikini preto.

Elas nem te dão tempo de ter vergonha. Você não tem tempo de pensar que está seminua em meio a outras mulheres que você nunca viu na vida e só vai obedecendo a elas. O terror na cara de cada mulher que entrava ia embora depois de uns cinco minutos.

O ritual do banho turco

Depois de colocado o pestemal sobre a plataforma central aquecida, a assistente coloca a kese e começa o processo: De frente. Água quentinha, sabonete, água quentinha, exfolição. Vira de costas. Água quentinha, sabonete, água quentinha, exfoliação.

Depois a gente levanta a vai pra umas das galerias laterais, e a moça lavou o meu cabelo com o shampoo mais cheiroso do mundo. O bom e velho Darling perde feio.

De lá fui enviada para a jacuzzi. Uma jacuzzi grandona, com água bem quentinha pra relaxar. Lá eu entrei e fiquei completamente longe da vida real. Momento de meditaçao. Ali você vai sozinha,s em acomopanhante e fica com as outras mulheres que já passaram pelo banho.

Massagem depois do banho turco

Hora de ir pra massagem. E eis que tem um fila. Vc sai da jacuzzi, passa pelo salão principal e senta em uma entre-sala pra esperar que te chamem. Vinte minutos, algumas risadas pela cara de “não sei o que faço” de quem acaba de chegar, algumas conversas bobas em inglês entre mulheres de diferentes partes do mundo.

Queria ter superado a vergonha para conversar um pouco com elas, mas a cena de todas enroladas numa toalha, de cabelo escorrido, esperando uma massagem turca não era lá muito encorajadora.

Até que chegou a minha vez. E sem mais, lá estava eu dentro de uma sala com 5 macas, em absoluto silêncio. A massagem foi ótima, ninguém conversa com ninguem e voce pode enfim relaxar.

O processo é o mesmo do banho, elas dão um toque no seu ombro quando precisam que você se movimente. E meia hora depois lá estava eu, completamente renovada, sem noção de tempo algum, completamente relaxada, preocupada apenas em nunca mais esquecer a experiência.

O resultado

Garanto que nessa hora e meia que dura o processo, não tem problemas no mestrado, dívidas ou brigas com o namorado que permaneçam na sua cabeça. Só o que você quer é rir do fato de que, depois de velha, outra pessoa te deu banho junto com outras mulheres desconhecidas.

Mas, uma vez na Turquia, não tinha como não tomar um banho turco em Istambul.

2607 Visualizações

Shortlink para este artigo:

Dany Colares

Jornalista, produtora de vídeo e mestra em TV e Cinema pela Universidad San Pablo CEU, de Madri. Já morou em San Diego, Madri e agora vive em Londres, de onde escreve sobre lugares, pessoas, baladas e tudo mais que descobre em suas viagens pelo mundo.

COMENTÁRIOS

  1. CLAUDILA disse:

    shampoo darling..eu usava benhe…egua, ate tu?..e eu que pensei q era coisa da minha infancia.
    tu eh “gemula” minha mesmo.
    te amo
    saudade

Gostou do post? Me diz o que pensa!





CommentLuv badge

* Campos de preenchimento obrigatório