feriado social

Voltar pro Brasil – Síndrome do Regresso

Já sabem que esse blog não tem regras, né?!

Então justamente quando começo a série de posts sobre Sevilha, já no segundo dia eu interrompo.

Isso porque a Tati (@tmantonvani) mandou essa matéria da Folha (escrito por Amanda Lourenço e Juliana Cunha) especialmente pra eu postar aqui no Feriado Pessoal.

Dentro de poucos dias nossa amiga Thaylise (@thaylisen) vai voltar pro Brasil depois de 1 ano e meio de Madrid.

E a matéria da Folha fala sobre a tal da Síndrome do Regresso que acomete aqueles que voltam pra casa depois de um tempo vivendo fora.

Abaixo tem umas partes do texto. E quem for ler a matéria completa, não deixa de ver todo o infográfico que tem lá.


O caminho de volta pode gerar depressão. É a “síndrome do regresso”, termo cunhado pelo neuropsiquiatra Décio Nakagawa para designar certo “jet lag espiritual” que aflige ex-imigrantes.

“A adaptação em um país diferente acontece em seis meses, já a readaptação ao país de origem demora dois anos”, diz a psicóloga Kyoko Nakagawa, viúva do psiquiatra e coordenadora do projeto Kaeru, de reintegração de crianças que voltam do Japão.

“Retornar é uma nova imigração”, diz a psicoterapeuta Sylvia Dantas, coordenadora do projeto de Orientação Intercultural da Unifesp. “A sensação é de que perdemos o bonde, estamos por fora do que deveríamos conhecer como a palma da mão.”

Para amenizar o estranhamento, a analista de marketing Natasha Pinassi, 34, se refugiou nos amigos feitos durante sua vivência de um ano na Austrália: “Em pouco tempo no Brasil percebi que deveria ter feito minha vida na Austrália. Já não via graça nas pessoas e nos lugares que frequentava antes. Só conversava com brasileiros que conheci no exterior”.

A família pouco ajudava: “Não pude falar o que sentia. Eu me culpava por estar sofrendo enquanto meus pais estavam felizes com minha volta”, diz Natasha, que tomou antidepressivos para tentar sair desse estado.

Espero que meus amigos não pensem isso de mim

ABANDONO

Quem sofre de síndrome do regresso é frequentemente considerado esnobe. Parentes e amigos têm pouca paciência com quem volta reclamando: “O retorno tem uma significação para aquele que ficou. Junto com saudade, há um sentimento inconsciente de abandono, ressentimento e de inveja daquele que se aventurou”, explica Dantas.

Dois anos?!

4090 Visualizações

Shortlink para este artigo:

Dany Colares

Jornalista, produtora de vídeo e mestra em TV e Cinema pela Universidad San Pablo CEU, de Madri. Já morou em San Diego, Madri e agora vive em Londres, de onde escreve sobre lugares, pessoas, baladas e tudo mais que descobre em suas viagens pelo mundo.

COMENTÁRIOS

  1. Leidinara disse:

    aiiii to passando por isso. Mas DOIS naos? não fico nem 1 ano sem voltar à Madrid!

  2. cleber oliveira disse:

    Eita Dani, adorei o post, foi bem por ai comigo mesmo, e realmente ainda sinto muita falta do que vivi em Portugal, e olha que lá não é toda essa “coca-cola” da Europa, mas já da pra sentir a diferença, principalmente para quem mora no norte do Brasil como eu.
    Quanto a ser esnobe e parecer metido, realmente este é um ponto delicado a começar pelas fotos que a gente coloca no facebook. Quase todo mundo comenta as fotos com expressões tipo: ai como é lindo esse lugar, aproveite por mim, entre outras. Mas sinceramente, o que acho que é que eles pensam assim, pelos menos uma minoria, “esse filho da puta foi só pra passear e nem tá estudando, ou, só ta querendo se mostrar posando de bacana. Enfim, tem de tudo. A verdade é que gostaria de sair daqui correndo, mesmo sabendo que a velha Europa anda mal das pernas.
    Bjos, lindona.

    • Dany disse:

      Cleber,

      vc falou tudo que eu sempre falo sobre isso de estar longe de casa.
      Concordo com tudo!
      Toda moeda tem dois lados. A gente decide sair de casa e passa por muitas dificuldades e muita coisa chata, mas também conhece muita gente boa e muitos lugares lindos. Vc e eu somos um exemplo claro: a distância de casa nos aproximou.
      É tudo uma questão de saber o que vc quer perder e o que você quer ganhar.
      E a gente deixa todo mundo falar o que quer, porque no fim das contas só a gente sabe a dor e a delícia de viver essa experiÊncia.
      Né não?!
      Bjo imenso!

  3. Mandinhanha disse:

    Eu superespero que isso não conteça comigo. 😀 😀

    • Dany disse:

      Eu tampouco!
      Mas sempre digo pros meus amigos me aguentarem um pouco numa vibe “esnobe”. Bora ver se eles me aturam!

      • Lucas Carvalho disse:

        Fala Dany,

        Muito bom o texto e isso é a maior verdade !
        Aconteceu isso comigo e até hoje penso o pq de ter deixado a Espanha (por isso que vou voltar logo. rs)
        Parece mesmo que tudo perdeu a graça e a saudade que a gente tem da vida na Europa é absurda.

        • Dany disse:

          Lucas,

          ë complicado conviver com a saudade, né?!
          E se for grande mesmo, não tem outro jeito: só voltando!
          🙂
          Espero que dÊ tudo certo pra vc vir pra cá.

          Dany

  4. viveca santana disse:

    Eu escrevi um texto no meu blog sobre viver fora…é o caminho contrário do texto publicado, depois dá uma olhadinha: http://www.rockcaustico.blogspot.com

  5. Adorei o texto…mas como eu só vou de férias, não me encaixo …rs

    abs

  6. Carlos Rizzon disse:

    Morei nos EUA por 10 anos, retornei ao Brasil e fiquei por 2 anos, não me readaptei, fui para a Europa e fiquei um ano na Suiça e agora estou há quase um ano na Inglaterra, a fase de adaptação e readaptação é muito desgastante.

  7. Leia disse:

    Oii dany estou pensando em ir morar com minha tia na espanha para estuda lah e estou no 2°ano gostaria de termina meu ano la Gostaria de saber quais os documentos, e outras coisas que eu preciso para entrar na espanha ?

  8. angela boese disse:

    Vivo em portugal quase a 8 anos e antes deste natal pretendo voltar pra estar junto dos meus filhos e meus pais, mas cada vez que lembro me disso choro como um bebe…meu Deus me ajude nao sei como vai ser.

  9. wania povoa disse:

    já moro em Portugal há 11 anos, casei, tive duas filhas e tenho uma enteada, mas espero com ansiedade voltar pro Brasil, estive este ano de ferias e sei que tudo o que lemos aqui é verdade mas sinto muita falta dos amigos e da familia e sinto pelas minhas filhas nao terem o convivio com eles e sei que terei dificuldades mas acho que nada é como o povo brasileiro. Espero em Deus que tudo corra bem.

  10. Marcos disse:

    Olá, Parabéns!

    Gostei muito do seu artigo, foi muito útil pra mim.

    Sou muito ansioso e sempre procuro ajuda para conter minha ansiedade e fico feliz por ter pessoas como você pra estar ajudando as pessoas a se conter a ansiedade, muito obrigado pela dedicação em seus artigos.

  11. Lopes disse:

    Morei um tempo na inglaterra e sei muito bem como é voltar pra sua pátria amada.

Gostou do post? Me diz o que pensa!





CommentLuv badge

* Campos de preenchimento obrigatório