feriado social

O destino está escrito

Interior. Loft Dany. Noche Dany entra em casa depois de um almoço de despedida com amigas. Liga o computador, a tv, senta para escrever. Nesse exato momento começa um filme na tv espanhola. Em inglês o título na tela escreve Donovan’s Echo. Em espanhol uma voz fala o título traduzido: O Destino Está Escrito.

E em meio a tanta coisa acontecendo no meu mundo agora mesmo, olho pra tela e me pergunto se é mesmo assim: se o destino está, de fato, escrito. Estaria tudo pré-planejado?

Interior. Loft Dany. Noche Dany escolhe, entre as trilhas sonoras do programa Chegadas e Partidas o playlist chamado Vida Nova. Bob Marley começa a cantar um de seus clássicos.

Hoje me despedi de uma pessoa muito especial que conheci em Madrid. Espanhola, ela hoje foi viver essa nova vida na América Latina. O plano dela é, dentro de pouco tempo, ir morar no Brasil. Em agosto já me despedi da 1º do grupo que voltou a morar em SP. Em dez dias mais outra. E antes que termine o mês, levo ao aeroporto a última do grupo que se vai. Todas indo embora. Eu fico por aqui. 

Depois de três anos conhecendo a tanta gente e me despedindo de muitas delas, já criei meu mecanismo de defesa, como diz a espanhola de quem me despedi hoje. Não foi fácil, mas hoje sei bloquear e ignorar esse vazio que fica quando alguém que você ama deixa de estar ali, a poucas estações de metrô de distância. São milhares as fotos, os vídeos, as risadas e as histórias. E vai ficar pra sempre o longo abraço no meio da rua antes de que cada uma fosse por uma direçao diferente: eu pra casa, ela pro aeroporto. 

Despedida por escrito

Estaria tudo escrito? O dia em que nos conhecemos, as taças de vinho entre tantas risadas, todas as coisas ditas antes de ir embora? Entre muitos beijos e abraços, ela disse que deveria ser obrigação universal ter uma Dany em cada canto do mundo, em cada continente, em cada país. Assim tudo seria mais divertido, mais fácil, melhor. Essa foi uma das muitas frases que me arrancaram lágrimas dos olhos quando tudo que eu queria era rir entre uma história e outra. Lá do outro lado da rua ela acenou e gritou pra eu nunca mudar: “Nunca mude, Dany. A não ser as coisas chatas”, concluiu. Voltando pra casa sozinha pensei que é exatamente para isso que estamos no mundo: viajar, aprender, conhecer pessoas especiais, rir, chorar e crescer. Estamos nesse mundo pra evoluir sempre, mudando as coisas chatas de cada um, mas sem nunca deixar de ser quem somos.

Isso também estaria escrito? Essa liçao de vida gritada de lado oposto da rua por alguém que espero não demorar tanto a ver outra vez estaria também escrita? Estaria escrito essa amizade? A despedida? Estará escrito o reencontro? O destino está escrito? Será que quando eu era pequena já estava escrito que enquanto escrevo essas palavras a música no rádio repetiria a frase “let go, let go, let go…” ?

Não acho que o destino este exatamente escrito. Mas tenho plena certeza que nada na vida acontece por acaso. A decisão de morar na Espanha me ensinou isso. E hoje tenho –  e espero que você também tenha – a certeza que tudo  na vida acontece por uma razão. Como o roteiro de um filme que já está escrito mas que pode sofrer mudanças durante as gravaçoes. Como um roteiro de viagem que te mostra o Norte, mas que te permite desvios ao longo do caminho. 

Em mais uma despedida

Gosto de pensar que nada na vida acontece por acaso, mas que a vida e eu estamos ainda nos escrevendo. Gosto de pensar que estamos ainda indefinidos. E eu estou apenas começando. Tenho a caneta na mão e o final está ainda por ser planejado. Gosto de pensar que tenho uma página em branco na minha frente e que hoje é exatamente o dia onde começa meu livro. E que o resto está ainda por se escrever. 

* A frase de abertura do post diz Talvez o importante não seja o final feliz. Talvez seja a história.

4820 Visualizações

Shortlink para este artigo:

Dany Colares

Jornalista, produtora de vídeo e mestra em TV e Cinema pela Universidad San Pablo CEU, de Madri. Já morou em San Diego, Madri e agora vive em Londres, de onde escreve sobre lugares, pessoas, baladas e tudo mais que descobre em suas viagens pelo mundo.

COMENTÁRIOS

  1. Mandinha disse:

    Não sei porque, mas me identifiquei com esse texto. :DDDDDD

  2. Kelli Machado disse:

    Pois é… viver fora nos faz criar um mecanismo de defesa… são tantas chegadas e partidas o tempo todo. Gosto de pensar, quando me despeço de alguém, que agora tenho mais um lugar no mundo para visitar. Faz a dor doer menos e a promessa de reencontro ficar mais viva.

    • Dany disse:

      Kelli, é exatamente isso que você disse: a grande vantagemdisso tudo é que eu posso hoje dizer que fui num casamento turco e outro no Rio graças aos amigos que fiz ao longo da caminhada. E claro, vou ter que ir te visitar onde quer que vc esteja uma vez ou outra, do jeito que vc e o L. viajam tanto… E vc, claro, visitar a mim!
      Beijo enorme.

      Dany

  3. Luana Lucardi disse:

    Dany, lindo texto!
    Vejo que você escreve pouco sobre sua vida particular no blog e é legal ver você às dando abertura pra gente te conhecer ainda melhor. Parabéns pelo post e pelo blog.

    • Dany disse:

      Luana, de verdade, nao gosto muito de escrever sobre minha vida particular. Eu amo falar sobre a Espanham, viagens, Madrid, mas fico com vergonha quando o assunto central sou eu, minha família ou algo que tenha a ver mais intimamente comigo. Foto entao, morro de vergonha, Em contradiçao, vídeo pra mim é muito mais fácil. mDe qualquer forma, prometo tentar me abrir um pouco mais aqui. E espero que vc volte sempre.
      Beijo granmde,
      Dany

  4. Andres Gerbazzi disse:

    A gente vive mesmo longe e perto de tudo e de todos numa eterna gangorra.
    Concordo com todo mundo que já escreveu aqui: ótimo texto!

    • Dany disse:

      Andres, a gente tem poucas alternativasm né? A gente nunca se acostuma, mas aprende a lidar cada vez melhor como a situação de ver as pessoas que a gente gosta indo embora. E no final das contas agente sabe que vai encontrar com eles logo mais.

  5. Aline Lima disse:

    QUE LINDOOOOOO
    Amei seu texto. Me arrancou lágrimas dos olhos.

  6. Aline Lima disse:

    Ah, e adorei as fotos também!

    • Dany disse:

      Aline, obrigada. Fico muito feliz com comentários como o seu. As fotos são poucas porque nao sou muito de colocar fotos minhas aqui no blog, mas aos poucos vou perdendo a vergonha.
      Volte sempre ao blog.
      Bjs.

Gostou do post? Me diz o que pensa!





CommentLuv badge

* Campos de preenchimento obrigatório